Jornalismo independente, progressista e dissidente, na tua caixa de email

Subscreve aqui para receberes em primeira mão os nossos episódios, reportagens e artigos.

Sobre Nós

O É Apenas Fumaça é um projeto de media independente, onde se fala sobre a sociedade com quem quer falar sobre ela. Procuramos dar voz a quem não a tem e escrutinar os assuntos aos quais não é dado espaço pelos media tradicionais.

Somos independentes, porque as nossas escolhas editoriais não dependem de nenhuma força externa e porque não dependemos de qualquer tipo de financiamento privado. Somos progressistas, porque acreditamos no progresso social e que toda a gente deve ter direitos humanos assegurados e necessidades básicas garantidas. Somos dissidentes, porque acreditamos que o papel do jornalismo é escrutinar a democracia e não o tem feito. Questionamos as decisões feitas, responsabilizamos os representantes, e damos voz aos representados.

Acreditamos que o papel da comunicação social é escrutinar a democracia.
Se também acreditas nisto e que o povo não é sereno contribui.


Bernardo Afonso

Acredita que todos temos apenas uma perspectiva da mesma realidade e que só reduziremos o nosso nível de entropia através do conhecimento das diferentes interpretações do real. Cedo se desiludiu com o Jornalismo e com quem o faz. Deixou por concluir uma licenciatura na Escola Superior de Comunicação Social. Estudou na Escola de Música N. Sª do Cabo e no Hotclub, é hoje músico e produtor, membro dos Lotus Fever.

O Bernardo faz parte, como independente, da lista candidata à Assembleia Municipal de Oeiras pelo partido LIVRE nas eleiçoes autarquicas de 2017.

Frederico Raposo

Acredita que a verdade não jaz só nas maiorias. Que é preciso ouvir os mais pequenos e os maiores e fazer que tenham voz igual. Que o jornalismo não pode difundir, só. Tem que lutar para libertar-se de constrangimentos e, assim, contribuir para a boa informação e para a verdadeira democracia.

Licenciado em Ciências da Comunicação, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

O Frederico faz parte, como independente, da lista candidata à Assembleia Municipal de Oeiras pelo partido LIVRE nas eleiçoes autarquicas de 2017.

Maria Almeida

A Maria Almeida acredita que são as histórias e aqueles que as contam que mudam o mundo. É atualmente copywriter e produtora de conteúdos na Beta-i. Não é jornalista, apesar do que lhe ensinaram na Universidade Nova de Lisboa há uns anos, no entanto, faz hoje o jornalismo que falta no É Apenas Fumaça.

Pedro Santos

Acredita que cada qual pode acreditar naquilo que quiser. Se a crença tem fundo de verdade, ou não, já é outra história. Foi para contar histórias - com verdade e de verdade – que o jornalismo se foi inventando e moldando como profissão, como saber, como instrumento de fiscalização do Poder e, sobretudo, como pilar democrático. Nisto acredita.

Licenciou-se em Comunicação Social e Educação Multimédia, na Escola Superior de Educação e Ciências Socias do Politécnico de Leiria. Esteve meia dúzia de anos na VISÃO, mas cansou-se de ser falso recibo verde. É jornalista de coração. Trabalha no projeto Rios Livres, da associação ambientalista GEOTA. Faz ativismo na Academia Cidadã, associação nascida do Protesto da Geração à Rasca, que se orgulha de ter coorganizado.

Pedro Zuzarte

É saudosista de um tempo que nunca foi vivido e batalha apaticamente para esse futuro. O mínimo imprescindível é dar uns bafos para o ar na esperança de fazer Fumaça. Estudou Direito e Ciências Musicais. É compositor em Lotus Fever e FLUXO.

Ricardo Ribeiro

O Ricardo vive desassossegado com a ideia de que nunca vai conseguir ler todos os livros que quer, durante toda a sua vida. Inspirado pelo trabalho que projetos como o Democracy Now! e The Intercept fazem, acredita que só se o jornalismo independente cumprir o seu papel, poderemos viver em democracia.

Trabalha na equipa de vendas da Unbabel.

Tomás Pereira

Acredita que os media não cumprem actualmente a função que deveriam desempenhar na sociedade, que não são plurais. Representam interesses de alguns representantes, quando os deviam questionar. Esquecem os representados, quando deviam dar-lhes uma voz.

É licenciado em Gestão pela Universidade Nova de Lisboa. Faz parte do núcleo de Oeiras do DiEM25, e é membro do Grupo de Coordenação Local de Lisboa do partido LIVRE.

O Tomás faz parte da lista candidata à Assembleia Municipal de Oeiras pelo partido LIVRE nas eleiçoes autarquicas de 2017.